Ansiedade / 23.02.2012

A ansiedade é um estado de alerta, que alimenta o planejamento de ações, buscando saídas, alternativas e ensaiando ações de enfrentamento ou fuga.


A nossa herança do processo de ansiedade data do período pleistoceno, ou idade da pedra, quando a humanidade teve que enfrentar perigos reais ou imediatos no seu dia a dia.


Inundações, ataques de feras, risco de vida a cada momento eram realidades cotidianas, e as pessoas que estavam mais alertas, que tendiam a ver perigo a cada momento tinham maiores chances de sobrevivência.


Esta é a nossa herança: antecipar-se, preocupar-se permanentemente como se nossa integridade física, nossa sobrevivência dependessem desse estado de constante alerta.


Há um pouco do bicho em nós, na medida em que a natureza supre o animal de um instinto de sobrevivência. Quando o animal pressente um perigo que ele pode enfrentar, ele ataca e briga; quando sente que não pode confrontar ou que o perigo põe em risco sua sobrevivência, ele foge, corre para longe do perigo.


O ser humano também passa por inúmeras situações hostis, onde ou tem vontade de fugir, sair correndo ou onde tem vontade de atacar e destruir o que o incomoda. O problema é que nem sempre temos atitudes coerentes com que o que sentimos e nem sempre podemos agir por impulso. Ex.: uma pessoa em um relacionamento complicado, às vezes tem vontade de sair correndo e acabar com a situação, e às vezes tem vontade de destruir o objeto de sua raiva.


Só que não faz nem uma coisa nem outra, e só fica ansiosa, cobrando-se um milagre em particular para salvar a situação, ou fica esperando que o milagre venha do outro. A situação de espera causa uma ânsia e toda energia mental gasta no processo acaba sendo somatizada no corpo da pessoa.


É importante entender que tudo o que pensamos passa para o nosso corpo. Se você agora pensar numa situação bem triste que vivenciou, note que seus ombros ficam para baixo, sua expressão facial fica triste; se, em contrapartida, lembrar-se de uma situação bem engraçada que lhe aconteceu, automaticamente sua postura corporal e expressão facial modificam.


No processo de ansiedade, quando a pessoa fica em contato com seus medos, com as catástrofes dentro de sua cabeça, o cérebro não distingue se a situação é real ou não, se está acontecendo ou não, ele capta as impressões dos seus sentimentos, e mobiliza todo o corpo para agir; há uma descarga de adrenalina no sangue, e todo o corpo fica preparado ou para o ataque ou para a fuga, só que como a situação não está acontecendo, está só na cabeça da pessoa, todo o esforço físico (sudorese, tensão muscular, taquicardia, etc) não é colocado em prática, e isto acaba sendo somatizado, toda essa energia acaba indo para algum ponto nevrálgico do corpo e a pessoa acaba desenvolvendo sintomas psicossomáticos, como stress, dor de cabeça, úlcera, dor de estômago, azia, intestino irritável. Na verdade, toda esta tensão pode levar a inúmeras enfermidades.


Precisamos entender a raiz da ansiedade, medos e crenças que trazemos desde a nossa infância. À medida que tomamos consciência de nosso processo emocional, de nossa maneira de ser e ver as coisas, temos condições de interromper e curar a ansiedade. Precisamos desenvolver confiança na força atualizadora ou natureza dentro de nós, precisamos perceber a força natural de nossos recursos interiores, para podermos aprender a contar com essa força e pararmos de querer controlar o futuro, os outros, com o nosso pensamento.


8 comentários:

Gisa disse...

Um mal que acomete a tantos...
Problema sério.
Um grande bj

Guaraciaba Perides disse...

Texto muito bom e muito bem explicado.O problema é como sair do círculo vicioso...num mundo que explora o medo e a insegurança como forma de viver.
Um abraço

Esculpindo Ilusões disse...

Parabéns!!! Adoro ler o que vc posta.
Beijussss

Tatuagem disse...

Muito bom texto!

Por isso o exercício físico ajuda muito pra lidar com estress.

Beijos

Lis disse...

Adorei!!! Já sigo esse lindo Blog bjosss

Simone Oliveira disse...

Obrigada por seguir. Conheço seu blog e sou seguidora há um tempão! Adoro! Beijos... =*

Rosana Corrêa - @Sentido_Existir disse...

Mer,

Aqui estou eu, como sempre encontrando coisas que acrescentam.
Que grande desafio, minha amiga, o controle da ansiedade, uma batalha árdua, que enfrento sempre.

Para mim, o texto foi de grande ajuda, pois preciso aprender a administrar melhor este meu lado. A vontade de estar em vários lugares ao mesmo tempo, de resolver tantas situações de uma só vez. Vou seguindo e a cada dia tentando aprender um pouco mais com a ajuda dos amigos, que tem o que oferecer para meu crescimento e desenvolvimento emocional, por isso estou aqui.

Preciso assimilar que é necessário: "desenvolver confiança na força atualizadora ou natureza dentro de nós, precisamos perceber a força natural de nossos recursos interiores, para podermos aprender a contar com essa força e pararmos de querer controlar o futuro, os outros, com o nosso pensamento."

Beijos!

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa noite!
Navegando pelo seu blog!
Belo texto! Muito bem detalhado!Sobre ansiedade, não deveria,mas conheço bem: Tenho TOC...
Boa semana!
Beijos

Postar um comentário

Conto com comentários sensatos e inteligentes!
Desde já,
Obrigada!

 

Seja Essência e Não Aparência | Creative Commons Attribution- Noncommercial License | Dandy Dandilion Designed by Simply Fabulous Blogger Templates