O Amor Não Se Basta / 01.12.2011

Aos que não casaram,
Aos que vão casar,
Aos que acabaram de casar,
Aos que pensam em se separar,
Aos que acabaram de se separar.
Aos que pensam em voltar…

Não existem vários tipos de amor, assim como não existem três tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja.
O amor é único, como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus.
A diferença é que, como entre marido e mulher não há laços de sangue.
A sedução tem que ser ininterrupta…
Por não haver nenhuma garantia de durabilidade, qualquer alteração no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança em cobrança, acabamos por sepultar uma relação que poderia ser eterna.
Casaram. Te amo pra lá, te amo pra cá. Lindo, mas insustentável. O sucesso de um casamento exige mais do que declarações românticas.
Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes, nem necessita de um amor tão intenso. É preciso que haja, antes de mais nada respeito.
Agressões zero.
Disposição para ouvir argumentos alheios. Alguma paciência… Amor só, não basta. Não pode haver competição. Nem comparações. Tem que ter jogo de cintura, para acatar regras que não foram previamente combinadas. Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades.
Tem que saber levar.
Amar só é pouco.
Tem que haver inteligência. Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas para pagar.
Tem que ter disciplina para educar filhos, dar exemplo, não gritar.
Tem que ter um bom psiquiatra. Não adianta, apenas, amar.
Entre casais que se unem , visando à longevidade do matrimônio, tem que haver um pouco de silêncio, amigos de infância, vida própria, um tempo pra cada um.
Tem que haver confiança. Certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou. É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão.
E que amar “solamente”, não basta.
Entre homens e mulheres que acham que o amor é só poesia, tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade. Tem que saber que o amor pode ser bom pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado.
O amor é grande, mas não são dois.
Tem que saber se aquele amor faz bem ou não, se não fizer bem, não é amor. É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência.
O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.

Não basta amar, tem que saber amar!



Artur da Távola






15 comentários:

Priscila Castro... disse...

Muito bom esse texto e é a mais pura verdade, tem que ter estrutura para o amor perdurar =)

bjooos
prihmakeup.blogspot.com

Solange disse...

li várias vezes esse texto..
mas cada vez é como se fosse a primeira.

bjs.Sol

DULCI disse...

Passei para conhecer o blog. Muito bom esse texto. É pura verdade não basta amar, tem que saber amar. BJS

Anônimo disse...

E que dificil e saber amar...

inaier.blogspot.com

Karina disse...

que perfeito!!!!!!!!!!!!!!!!!!
amei

Alê disse...

Amor por sí, não basta,


Precisa-se de mais,


Mais doação, acima de tudo

Anônimo disse...

Olá amigo, seu blog foi selecionado para ser um Blogueiro responsável. Selecionamos os blogs mais influentes dentro de cada área, e estamos convidado os mesmos para participar da campanha de Marketing Digital da Casa Ronald McDonald RJ. Caso você queira participar, pedimos que envie um email para midiassociais@casaronald.org.br para que possamos explicar melhor como funcionaria!
Será um prazer ter seu blog como parceiro da Casa Ronald McDonald. Abrace a casa. Esperamos seu contato.
Abraços

Jopz_B1B disse...

Legal o texto, simples mas bem verdadeiro e objetivo. Kurti e vou até repassar para alguns casais.

JOPZ

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Palavras perfeitas.

Amar é mergulhar
no outro,
sem nunca saciar
a sua sede.

Que a luz da vida
esteja sempre em teu olhar.

Cris Teles disse...

Seu blog é um verdadeiro encanto!! =) Bjão

Emi disse...

''Disposição para ouvir argumentos alheios. Alguma paciência… Amor só, não basta. Não pode haver competição. Nem comparações. Tem que ter jogo de cintura, para acatar regras que não foram previamente combinadas. Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades.''
Achei fundamental esse trecho. Sábio, os que se amam deveriam tentar seguí-lo à risca para que tudo dê certo, tal como planejado e sonhado.
Beijos, lindo blog!

CLEMENTE GERMANO MULLER disse...

Oi minha querida amiga Merlaine. Boa noite. Será que existem vários tipos de saudades? Como não sei passei por aqui para matar a saudades e pedir-te perdão por não aparecer mais seguido, espero que entendas que vida de andarilho sem destino náo é fácil. Muitas viagens e muitas vezes sem sinal da net. Texto maravilhososs. AScho que só existe um tipo de AMOR. O AMOR incondicional. Um grande beijo. FIQUE COM DEUS.

artebaiao disse...

Minhas férias acabaram e, é muito bom ler um post deste na volta! Obrigado por partilhar.
Jaime Baião

.:*Aline*:. disse...

Eh isso mesmo.. o amor eh como uma plantinha q deve ser regado e cultivado todos os dias. Se naum for assim, ele naum sobrevive mesmo..

Bjus, lindona!!

Curvelo-Garcia disse...

Parabéns de um português!

Postar um comentário

Conto com comentários sensatos e inteligentes!
Desde já,
Obrigada!

 

Seja Essência e Não Aparência | Creative Commons Attribution- Noncommercial License | Dandy Dandilion Designed by Simply Fabulous Blogger Templates